Receba nossas atualizações por e-mail!

INFORMAÇÕES SOBRE PASSEIOS
DE OBSERVAÇÃO DE BALEIAS EM VITÓRIA, ES:
027 999 800 413
027 992 473 882
027 992 977 851
 
INFORMAÇÕES ESPECÍFICAS SOBRE
O PROJETO AMIGOS DA JUBARTE:
027 999 864 177
 
E-MAIL:
amigosdajubarte@gmail.com

Olha que legal! Baleias e golfinhos interagindo!

Golfinhos-nariz-de-garrafa interagem com baleias-jubarte e embarcação no Espírito Santo

 

Em uma saída recente de observação de baleia da temporada 2019, dois fatos muito curiosos emocionaram os pesquisadores do Amigos da Jubarte / Jubarte.Lab e todos que estavam a bordo.

 

 

Após três horas de navegação, um grupo de golfinhos-nariz-de-garrafa foi avistado. Eles aproximaram-se do barco e começaram a interagir, realizando saltos, dando voltas e fazendo acrobacias como se estivessem brincando. 

 

Com a aproximação dos golfinhos, o motor foi colocado em neutro, respeitando as normas de avistamento. O grupo de cetáceos permaneceu cerca de uma hora interagindo com o barco. Não poderíamos ligar novamente a hélice do motor com eles tão próximos, seguindo novamente as normas de avistamento. Foi um espetáculo! Porém, algo ainda mais legal estava por vir.

 

Passado alguns minutos, um grupo de baleias-jubarte também se aproximou e começou a interagir com os golfinhos e com a embarcação, investigando aquele objeto tão diferente. As baleias realizaram saltos, cabeçadas, batidas de nadadeira e exibiram sua barriga branca.

 

Todos da embarcação sabiam que aquele momento era especial, com a tamanha beleza da cena, na qual duas espécies de cetáceos interagiram uma com a outra e com as pessoas presentes.

 

 

Interação: golfinho e embarcação

 

Quando há alguma saída para a observação de baleia-jubarte, seja ela com o viés do turismo ou de pesquisa, um fato muito curioso acontece com frequência: a interação dos golfinhos-nariz-de-garrafa com as embarcações.

 

Esses cetáceos aproximam-se do barco e passam a acompanhá-lo de perto, realizando saltos e outras acrobacias, como se estivessem se divertindo, mesmo quando a embarcação está em movimento.

 

Para o oceanógrafo Agnaldo Martins, é quase impossível ter a certeza do porquê do comportamento dos golfinhos-nariz-de-garrafa, pois não dá para relacionar com nada que tenha uma função clara para a sobrevivência.

 

 

 

“Há muitos comportamentos como esse que são interpretados como simples brincadeiras ou distração, mas desconheço uma situação que tenha sido comprovado o seu motivo”, afirma Martins.

 

O professor ainda diz que os golfinhos-nariz-de-garrafa são muito inteligentes e que possuem uma excelente audição, tanto dentro quanto fora da água, o que permite que eles escutem o barulho do motor das embarcações de uma longa distância e se aproximem dela para poderem “investigar”.

 

 

 

Interação: Golfinho e Baleia

 

Outro fato muito interessante que vem chamando a atenção dos pesquisadores é a grande interação de golfinhos-nariz-de-garrafa com as baleias-jubarte. 

 

Esses dois cetáceos, muitas vezes, quando são avistados juntos, demonstram uma grande interatividade entre si ao realizarem saltos, acrobacias e outros movimentos, se comportando como se estivessem brincando.

 

O oceanógrafo Agnaldo Martins, em uma pesquisa recente, constatou que esses encontros são bastante comuns porém eles ocorrem sem que exista algo particularmente benéfico para uma espécie ou outra.

 

 

“Essas interação entre baleia e golfinhos em áreas tropicais, como o Espírito Santo, não parecem ter uma função clara de sobrevivência, podendo ser apenas uma brincadeira ou passatempo”, disse Martins.

 

O Professor ainda afirma que em áreas mais frias, como a Antártica, onde o alimento é abundante, essa interação pode ter benefícios para ambas espécies (sobretudo das jubartes em relação aos golfinhos), devido a habilidade deles em localizar e identificar cardumes a uma maior distância.

 

 

 

Projeto Golfinhos do Brasil

 

Essa interação entre a baleia-jubarte e os golfinhos-nariz-de-garrafa mostra a importância, também, de se preservar, não só as baleias, como também os golfinhos existentes na costa brasileira.

 

Por isso, foi criado o Projeto Golfinhos do Brasil, que busca proteger, pesquisar e preservar esse animal carismático que possui um papel fundamental para a cadeia alimentar do ecossistema marinho existente no litoral do Brasil.

 

 

 

O Golfinho-nariz-de-garrafa

 

Os Tursiops truncatus, nome cientifico dos golfinhos-nariz-de-garrafa, chegam a medir de 2 a 4 metros de comprimento, sendo os machos maiores que as fêmeas. Eles apresentam uma coloração cinza na parte posterior e branca na parte inferior. Seu “bico” é curto e grosso, o que explica o apelido “nariz-de-garrafa”. Ele é um animal mamífero de dieta bem diversificada, se alimentando de peixes, moluscos e crustáceos.

 

 Fonte: Guia Ilustrado de Identificação de Cetáceos e Sirênios do Brasil ICMBio.CMA 01_Page_40

 

Os golfinhos pertencem ao grupo dos cetáceos (o mesmo das baleias-jubarte) e são importantes por serem predadores de topo de cadeia, ou seja, não possuem predadores, garantindo o equilíbrio do ecossistema marinho.

 

 

A Baleia-jubarte

 

As Megaptera novaengliae, nome científico das baleias-jubarte, também são mamíferos aquáticos pertencentes a ordem dos cetáceos. Elas chegam a pesar 40 toneladas e a medir 16 metros de comprimento.

 

 Fonte: Guia Ilustrado de Identificação de Cetáceos e Sirênios do Brasil ICMBio.CMA 01_Page_16

 

 Sua observação no litoral capixaba é possível entre os meses de junho e novembro, período em que ocorre sua reprodução e nascimento dos filhotes. Nos demais meses, a baleia migra para a Antártica para se alimentar de pequenos peixes e de krill, conjunto de espécies de invertebrados semelhantes ao camarão.

 

--

Para aqueles que tem interesse em ver as baleias em Vitória - Espírito Santo, é só entrar no site do Projeto Amigos da Jubarte pelo link: www.queroverbaleia.com

 

 

 

Os Projetos Amigos da Jubarte, Jubarte.Lab e Golfinhos do Brasil são de realização do Instituto O Canal e Instituto Últimos Refúgios, em parceria com a Vale e o apoio nessa atividade da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Sebrae, Prefeitura de Vitória e Governo do Estado do Espírito Santo.

 

 

 

  

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload